A missão do Sindicato dos Trabalhadores Rurais

AGRICULTURA ______________________________________________Benito Rosa

      Luciano Rebelatto, presidente dos Sindicatos dos Trabalhadores Rurais de Garibaldi, Boa Vista do Sul e Coronel Pilar

“ O fundamento do programa não é entregar uma máquina a preço mais barato ao agricultor: é conseguir com que o custo da produção seja menor em função de um subsídio ou de uma máquina. Esse é o foco.

A MISSÃO

Entender a missão do Sindicato dos Trabalhadores Rurais, que busca alcançar direitos aos agricultores em todas as suas atividades, é importante, pois nos possibilita localizar amplamente o quanto isso representa em responsabilidade que cai sobre os ombros dos presidentes, membros de diretoria e representações que percorrem caminhos burocráticos intensos os quais, muitas vezes, dificultam atingir demandas que possibilitariam recursos financeiros, dentre outros, para produzir resultados positivos aos cidadãos.

REPRESENTAÇÕES CONTRIBUEM PARA ATINGIR METAS

Luciano Rebelatto

Rebelatto coloca:

“ Quanto aos cortes do Orçamento da União, temos representantes a nível Federal, hoje sob a responsabilidade do deputado Heitor Schuck, que atua firmemente para evitar entraves. Nem sempre atinge-se êxitos, mas a presença é importante. “

A PANDEMIA EXIGE ATENÇÕES E TAMBÉM CAUSA IMPASSES

O presidente Luciano destaca:

–  “  Mesmo sabendo e respeitando que estamos em meio a uma séria pandemia e os recursos para combatê-la exigem isso, não estamos olhando com bons olhos, não. Sabemos que o PRONAF é o programa de fortalecimento da Agricultura Familiar. No ano que passou, já tínhamos percebido uma redução no valor disponibilizado aos agricultores e uma redução nos subsídios aos seguros agrícolas.”

OS PROCESSOS PARA FINANCIAMENTO

Aqui na nossa região é, sem dúvida, a linha de financiamento mais utilizada pelos nossos agricultores, pois ela tem uma linha de taxas de juros bem acessíveis, mas é um programa exatamente para fortalecer a produção de alimentos. Aqui está a nossa preocupação e o Sindicato busca amenizar a situação.

Agora, em 2021, com a demanda represada, ou seja, os processos de busca de financiamento Pronaf e o que os Agentes Bancários têm no momento em que liberarem esse valor, com certeza não vai dar conta nem do que já está represado. Represado significa os que já estão na espera da liberação do recurso. Assim, diante do exposto, Sindicato e FETAG trabalham junto aos Agentes Financeiros.

REBELATTO DETALHA SOBRE OS FINANCIAMENTOS

“ – Esses recursos não são da linha BNDES. Não é, portanto, oriundo do Governo Federal,” explica Rebelatto.

– Com as mesmas taxas de juros, conseguimos então suprir as necessidades dos nossos agricultores junto ao Pronaf.

E segue:

Os nossos financiamentos por aqui não passam de R$ 150.000,00. A grande maioria, em casos de máquinas, implementos e investimentos, por exemplo, ficam entre R$ 100.000,00 e R$ 150.000,00. Na necessidade usar outras linhas, como para a construção de aviário,  que demanda próximo a R$ 1.000.000,00 a R$ 1.500.000,00 é preciso utilizar linhas específicas diante desses valores. É o que temos feito.

Não recebemos com bons olhos. Percebe-se um certo descaso ao Agricultor Familiar que é responsável pela produção de alimentos. “Não é bom!!! Não estamos falando de um ou outro Governo, mas deveríamos todos, principalmente quem está no comando, cuidar melhor da Agricultura visto que temos esses benefícios e esses programas exatamente para diminuir os custos dos agricultores e o alimento chegar mais barato à mesa do nosso consumidor. Esse é o fundamento do programa. O fundamento do programa não é entregar uma máquina a preço mais barato ao agricultor: é conseguir com que o custo da produção seja menor em função de um subsídio ou de uma máquina. Esse é o foco. “

OS PROBLEMAS CLIMÁTICOS E AS PARCERIAS BUSCADAS

Intempéries do tempo

I –  QUANTO À PODA NOS PARREIRAIS

– “ Como sabemos, é sensível e difícil de tratar. Foge ao controle de todos nós e, especialmente, do produtor. Seja diante de vendaval, granizo ou geada. “

O Sindicato foi buscar algumas parcerias.

– “ Temos um trabalho biodinâmico juntamente com a VITABAL ou com outras empresas e os ecológicos da região, como Leandro Venturini, de Ipê, mais direcionado para a uva: é o Calendário de Poda Biodinâmico que pode orientar para um atraso de uma ou duas semanas na brotação, evitando a queima diante de formação de geada, no caso. “

II – QUANTO AOS SEGUROS

Luciano Rebelatto detalha:

– “ Outra frente que temos é em relação aos Seguros, semelhantes aos de carros. No caso do cultivo de uvas, o produtor pode escolher qual é o valor do quilo que deseja receber em caso de algum sinistro e quanto por hectare. Tudo isso conforme sua necessidade. O Seguro Agrícola tem um subsídio do Governo. É uma ajuda para pagar o valor do seguro contratado. É feito por empresas privadas, como a Mapfre e a AgroBrasil, disponíveis no Sicredi, Banco do Brasil, Pasqualotto, dentre outros. O agricultor busca opções e pode escolher um seguro de 20 toneladas por hectare a R$ 1,00 o kg;  de 25 t a R$ 1,50 ou de 25 t a R$ 0,50. Ele irá receber sobre o valor contratado pelo quilo da uva. A cobertura referente aos problemas climáticos, os agricultores também poderão escolher um deles ou todos. E esse valor total do seguro que os agricultores terão que pagar é que conduz para subsídios por parte do Governo. Até alguns anos atrás, o Governo pagava até 60% do valor do seguro. Atualmente houve uma inversão: o Governo cobre 40% e o agricultor 60%. 

Eis uma das tantas preocupações que o Sindicato tem com o fim de buscar mais apoios e chamar a atenção das lideranças para um olhar especial aos que lidam na Agricultura.

Luciano Rebelatto revela que “nem sempre conseguimos repassar 100%, mas nossa disposição e atenções continuarão  diante da missão na busca de recursos que, como já revelamos, terão reflexos positivos para todos, indistintamente.”  

Eis a missão do Sindicato dos Trabalhadores Rurais e suas iniciativas diante de tantas outras iniciativas que visam proporcionar benefícios ou diminuir sacrifícios aos agricultores que lidam de sol a sol para nos proporcionar alimentos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.